CXCI

09:22



O Tom é no Tao
a sublime menção
ao que não pode ser
no que antes há de ser
no solo fértil
e no fertilizado céu.
O Sim é no Tao
uma resposta ao negar
a veemência matriz
de todas as afirmações
que se esvaziam
nas mansões ocultas
do Espírito das Verdades
e do Verdadeiro Ser.
O Trovão é no Tao
uma ameaça aos sentidos
que se completa
em uma derrubada
do raciocínio lógico
no logicismo mais gélido.
O Raio é no Tao
o signo encontrável
das maiores semelhanças
no semelhante objetivado
por aqueles que plantam
suas raízes mais duradouras
na durabilidade do solo
mais acolhedor de cada
passo dentro do escuro
e nos porões do claro.
O Jardim é no Tao
Aquilo Acima de todas
as vestes rasgadas
e tecidas
pelo tesouro sem nome
guardado nas nove chaves
dos sete rios
das quinze dúvidas
que assassinam todas
as certezas que cegam
a cegueira da ignorância.
O Tao,
O Taro,
A Rota,
O Oat,
O Orat,
O Ator:
lembrem-se,
Jardineiros,
nenhuma palavra
deve ser dita
e nem pronunciada
acima ou abaixo
dos firmamentos
que afirmam
as colunas do templo
das vestimentas reais
da realeza verbal
dessa natureza
que silencia
sempre no caminho
que percorre O Vazio
que sempre deve ser
eternamente
Preenchido
Preenchido
Preenchido…

Inominavelmente,
INOMINÁVEL SER.




You Might Also Like

0 Passantes Pelo Jardim Aqui Repousaram

Jardins Que Visito

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images

Get Free Shots from Snap.com