CLXXXII

23:31



A Dança Eterna
Da Grande Noite
Nutre Matrimônio
Com A Luz Cósmica
Do Alvorecer
Das Almas Devotas
Ao Jardim Temporal.
Como pequeno,
Como humano,
Apenas observo
E recebo calado
As nítidas mensagens
Das cores,
Das flores
E das folhas
Do Jardim Narrador
Das Eras
E Das Idades Eternas
De Outras Criações.
Como bardo,
Como escriba,
Apenas anoto
Em letras
E versos
A Oculta Voz
Do Eterno Silêncio
Que O Natural
Estabelece Como
Via Existencial.
Como um João,
Como um Inominável,
Vou abrindo
Os Selos,
Vou selando
Os Pergaminhos,
Vou construindo
Os Livros
E vou escrevendo
A todos
Sobre o que me chega
Do Todo.

Inominavelmente,
INOMINÁVEL SER.

You Might Also Like

0 Passantes Pelo Jardim Aqui Repousaram

Jardins Que Visito

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images

Get Free Shots from Snap.com